How long? (EN/PT) – Morning Prayer at Ecumenical Chapel/WCC – EAPPI Annual Meeting

IMG-20170328-WA0016

Capela Ecumênica – Conselho Mundial de Igrejas, Genebra

Em Genebra para o Annual Meeting do EAPPI/Programa de Acompanhamento Ecumênico na Palestina e Israel, tive a oportunidade de compartilhar uma mensagem do púlpito da Capela do Centro Ecumênico, um lugar muito simbólico para o movimento ecumênico mundial.

Compartilho aqui o texto em inglês, seguido da mensagem traduzida.


[EN]

How long?

“Teach me your way, O Lord, that I may walk in your truth;” Psalm 86:11

Everyday EA’s from different nationalities walk from the upper part of the village of Yanoun to the lower part of it. Yanoun is quite a small and vulnerable Palestinian community in the middle of the WB. Surrounded by settlement outposts, the protective presence of EAs there avoids the people of the village to be expelled from their homes again, as once happened.

Walking is one important part of the work there. Everyday. Morning and Afternoon. A Walk to show that we are present, to make ourselves visible and to meet with people along the way.

Walking is very import in our faith tradition. Once, the people walked for 40 years in the desert. Once, Christians were called “those of the way”.

However, after walking for a long time, is common to ask: “Are we getting there?”, “How long it takes?”, or even “Are we going in the right direction?”

Maybe, we can start by understanding what make us walk together.

What unite us is a calling from the word of God to be prophetic, to act for justice and to love and accompany his people, to walk humbly with God, as Prophet Micah says.

This is a walk for justice. The walk of the EAs in Yanoun, Hebron, or any other placement. And God promises to accompany its people in the way, a God who lead us in the path of Liberation. In Palestine, in Latin America, in South Sudan… trough out of time and history.

We walk moved by the need of justice.

We walk moved by the sight of a new world, of thy kingdom of justice.

That is our horizon. As the beautiful mountains of sand that we see in the horizon in our walks in Yanoun.

And as was said by the Argentinian writer Fernando Birri:

“Utopia is on the horizon. I move two steps closer; it moves two steps further away. I walk another ten steps and the horizon runs ten steps further away. As much as I may walk, I will never reach it. So what is the point of utopia? The point is this: to keep walking.”

How long?

Until the occupation ends.

Until all are fed.

Until thy Kingdom come.

Amen

Geneva, 28th of March 2017.


Até quando?

[PT]

“Ensina-me, Senhor, o teu caminho, e andarei na tua verdade;” Salmo 86:11

Todos os dias EAs (Acompanhantes Ecumênicos) de diferentes nacionalidades caminha da parte alta da vila de Yanoun para a parte baixa. Yanoun é uma pequena e vulnerável comunidade palestina no meio da Cisjordânia.  Cercada por assentamentos, a presença protetiva dos EAs neste local evita que a população da vila seja expulsa de suas casas mais uma vez, como já aconteceu no passado.

Caminhar é uma parte importante do trabalho lá. Todos os dias. De manhã e de tarde. Uma caminhada para mostrar que estamos presentes, para ficarmos visíveis e para encontrar com pessoas pelo caminho.

Caminhar é muito importante na nossa tradição de fé. No passado, o povo caminhou por 40 anos no deserto. No passado, cristãos eram chamados “aqueles do caminho”.

Entretanto, depois de caminhar por muito tempo, é comum nos perguntarmos: “Estamos chegando?”, “Quanto tempo falta?”, ou até mesmo “Estamos indo na direção certa?”.

Talvez, nós possamos começar entendendo o que nos faz caminhar juntos.

O que nos une é um chamado da Palavra de Deus, de sermos proféticos, de agirmos pela justiça, amar e acompanhar seu povo, andar humildemente com Deus, como dito pelo Profeta Miqueias.

Essa é uma caminhada pela justiça. A caminhada dos EAs em Yanoun, Hebron, ou qualquer outro placement. E Deus promete acompanhar seu povo pelo caminho. Um Deus que nos guia nos caminhos de libertação. Na Palestina, na América Latina, no Sudão do Sul… através do tempo e da história.

Nós caminhamos movidos pela necessidade de justiça.

Nós caminhados movidos pela visão de um novo mundo, de Teu Reino de Justiça.

Esse é o nosso horizonte. Como as belas montanhas de areia que vemos no horizonte em nossas caminhadas em Yanoun.

E como foi dito pelo escritor argentino, Fernando Birri:

“A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar.”

Por quanto tempo?

Até que a ocupação acabe.

Até que todos sejam alimentados.

Até que venha o Teu Reino.

Amém.

Genebra, 28 de março de 2017.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s