Sacrário Pessoal

Desde os tempos da Igreja Primitiva criou-se uma tradição de guardar os restos do pão eucarístico consagrado em um recipiente, uma caixa, que toma lugar especial no altar. Segundo o princípio teológico da “presença real” na eucaristia, o pão quando era consagrado pelo ministrante se transformava realmente no corpo de cristo, desse modo Cristo por ele mesmo, em carne e osso, estava no templo. Essa ideia foi toda a base da sacralização do templo cristão. Estando Cristo fisicamente no altar, a mesa se tornava santa, e todo o edifício, sacralizado.

O sacrário é então o lugar onde guarda-se o que é mais sagrado.  O próprio Deus vivo. Dele emana toda a santidade e ritualização. Desse mesmo modo, esse blog tem a humilde pretensão de guardar aquilo que me é sagrado, aquilo me anima, que me faz refletir, aquilo que creio e que tento viver.

Sacrário resgatado das ruínas de uma igreja do século IV em Taybeh, Palestina. Igreja Ortodoxa Grega de São Jorge.

 

Alexandre Quintino

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s